[Cartas de amor entre Ana Cândida Delfina e Vítor da Transfiguração]

Documento/Processo, [1797/06/27] – 1797/06/27


Cartas entre Ana Cândida Delfina e Vítor da Transfiguração, a maioria das quais da autoria de Ana Cândida, apreendidas ao destinatário em 27 de junho de 1797.

Transcrição dos documentos (a ordem é a dos documentos no maço; grafia atualizada):

[Folha 1]
M… F… A… E…
Não sei de que modo te possa mostrar melhor o meu amor para contigo, e para que o conheças melhor te ofereço esta com o meu próprio sangue, mas tu Aninhas do coração parece-me que tens pouco amor para comigo, pois é impossível que tu não tenhas lá fora algum que seja mais teu apaixonado e que te agrade mais do que eu te agrado, [a tinta muda de cor] mas em primeiro lugar perdoa-me por te não acabar de escrever com o sangue, pois como se coalha muito depressa leva muito tempo a escrever, vonda só que conheças qual é o meu desejo: ouve-me, atende-me, está com atenção ao que te vou dizer: quero agora falar em bom português, diz-me Aninhas do meu coração se tu queres viver comigo para sempre por meio do matrimónio, deves só amar a mim e seres-me muito fiel, hás de dizer-me com quem tens tido cópula ou se ainda está pura e sem estares manchada, porque se estás ainda, para melhor te dizer, se ainda estás virgem diz-mo, pois contigo é que quero celebrar o matrimónio, e ser-te sempre fiel, e se está ainda virgem, então digo-te que verdadeiramente me amas, pois então é certo que só comigo fazes gosto de ter cópula, e eu também te juro que eu não chegue a dar um passo mais se eu não casar contigo querendo tu, só o que te peço é que não tenhas cópula com ninguém, pois eu por mais ocasiões que se me ofereçam para tal cousa não quero, só contigo, pois julgo, que já não sou de mais ninguém senão teu e agora podes dispor, e ordenar de mim o que quiseres mas, ah!, quem me dera que tu souberas com quantas lágrimas me custou a dizer-te isto, tantas lágrimas que mal tu o pensas, que faria se to eu dissesse de palavras, se Deus e os céus permitissem que estas cousas que estão por aqui pelo pé de mim, a verem-me derramar estas lágrimas, falassem, e te dissessem quanto é o grande amor que te tenho, eu certamente estalo de paixão quando me lembra que tanto, tanto, tanto te amo e te não posso mostrar o meu amor, ai! ai! Céus, permiti que Aninhas chegue a conhecer o amor que eu lhe tenho, ai! ai! Aninhas, que não to posso mostrar ainda, mas que digo, quando chegará esse feliz dia? Parece-me que nunca, tomara, tomara que ele chegasse e depois, ainda que morresse nos teus braços, já estava satisfeito por chegar ao dia, dia o mais desejado de todos para mim. Mas, ah!, a minha infelicidade não me deixa, vai-te, vai-te, vai-te sepultar, ó infelicidade vai-te sepultar, deixa-me chegar ao peito de Aninhas, viver sempre em descanso com ela, que tu já te tens fartado de me consumires, deixa-me, deixa-me, ó infelicidade, deixa-me só com a minha querida Aninhas, e deixa-a também a ela não a consumas que não tens causa para isso, deixa-me só com ela, mas se houveres de a consumir antes me consome, mata-me por uma vez, só em mim vinga a tua cólera, e raiva, e não dês a minha amada Aninhas nem o mais mínimo sentimento, antes antes me faz em pedaços do que toques, naquela formosura que excede a todas quantas há na terra, formusura, na verdade, de que tu ó infelicidade és indigna de tocar.
Ama-me e adeus
Em 23 de Junho de 1797, pela meia noute
Aceita estes meus olhos como duas fontes de água que poucas são as vezes que não se ocupam em chorar por ti principalmente nesta ocasião, em que escrevi esta e muitos abracinhos, e beijinhos,
Deste que é só teu
V… D… T… Infeliz

[Folha 3]
A
Doce bem e querido amor
Recebi o teu escrito o que muito e muito estimei como tu podes compreender e vejo tudo o que me dizes tanto nele como nos outros e respeito à fidelidade eu te prometo e juro de outro amor não conhecer mais que o teu porque se o tivesse não faria o excesso que faço por teu respeito e tu sabes o que não deixarás de conhecer isto mesmo pois temos claro conhecimento das cousas e o que me dizes de eu te tratar em um escrito por dois tratamentos o em que te chamava por vossemecê era de agoniada e por tu era sem raiva assim escusado era agoniares-te por isso e escusas estar com mais desconfianças que eu não falho nem quero mais ninguém e respeito às cantigas eu não nas mostrei a ninguém se quiseres tas mostrarei quando cá vieres e para a outra serei mais extensa aceita … [palavra riscada] Manda-me dizer que conversas que tivestes com a Helena outro dia pois ela mo disse que fora no enterro e domingo quero resposta quando eu lá for e adeus sou só tua eu tomara que o teu companheiro estivesse bom para cá vir e adeus não posso mais sou e serei
Sempre firme
Até morte

Esta carta com todas as mais marcadas por minha mesma mão com as letras do alfabeto até BB inclusivamente, são as mesmas que me tinham sido escritas e me foram achadas em mim mesmo no dia 27 de junho de 1797, o que reconheço e para o que fiz este termo por minha mesma letra.
Colégio, 27 de junho de 1797
Vitor da Transfiguração

[Folha 5]
D
Amor do c.
Recebi as tuas delicadas letras as quais depositei em o meu constante peito e te desejo mil felicidades e nelas vejo a grande anarração de afetos que me fazes ciente sim minha vida eu nada disso duvido mas está certo que te correspondo da mesma sorte Deus permiti-lhe que o teu amor fosse firme como o meu eu não tenho provas com que melhor te mostre a minha grande paixão, só em algum tempo conhecerás ser verdade o que te afirmo, vejo o que me dizes respeito a lealdade, eu nem cá fora nem lá dentro amo a mais ninguém, só a ti em quem emprego os meus cuidados e nisto podes viver certo e a respeito … [palavras riscadas] nada se me dá deles ou sejam tolos ou avisados e no que me dizes do mais particular eu estou por tudo o que tu quiseres que eu não faço tenção … [riscado] tomara que hoje fosse o dia que estivéssemos à nossa vontade assim bem conheces a minha terna paixão dá-me alívios que eternamente sou tua e se te não escrevo mais amiúde bem conheces a pouca liberdade que tenho eu darei resposta mais devagar adeus aceita o meu coração cheio de saudades e abracinhos.
Do c. firme eu
Já sabes

[Folha 6]
C
Amor meu bem
Adorado amor do coração, com sumo gosto releio as tuas delicadas expressões e com elas dei um pequeno alívio aos meus cuidados só com elas tem solejo este aflito coração porque sempre vivo em um labirinto de cuidados por não saber a todos os instantes de ti como apetece vejo a grande recomendação que me fazes respeito ao nosso amor sem mudança eu também te não posso mostrar mais outro modo como já te tenho declarado para que melhor conheças a fé com que te amo verdadeiramente e se tu o conheces e o meio por onde melhor te capacites diz-me e sempre me acharás pronta para executar os teus preceitos mas em tudo o mais está certo que eu sempre serei constante nas minhas promessas, agora de novamente te peço que vejas se podes pedir licença e vir cá que estou morta por te falar em minha casa que tenho muito que dizer-te respeito aos nossos desígnios enquanto não falarmos à nossa vontade não poderemos dar princípio a nada o que certamente me faz andar vacilante e não duvides nada do meu amor, só estou alguma coisa sentida por tu dia do Corpo de Deus olhares pouco ou nada para a janela onde eu estava mas paciência tu mo pagarás com me dares muitos abraços e beijos adeus lê como puderes
Junho … [?]
Desta que é só tua do c.
D… A… C… D…

[Folha 8]
V
Meu querido e adorado amorzinho do meu coração
Com grande gosto e alegria recebi o teu escrito e nele vejo o grande afeto com que me tratas mas eu também te mereço tudo quanto me dizes e se te não mostro mais a minha firmeza é pela pouca liberdade que tenho mas assim mesmo conhecerás a minha firmeza vejo o que me dizes no que me pedes das duas cousas tudo tudo te hei de fazer se puder e tendo ocasião e quando tu cá vieres eu me declararei contigo o que havemos de fazer porque a tua vontade é a minha assim vive certo nisto [várias palavras riscadas] e adeus aceita o meu coração cheio de saudade
Desta tua do coração
Amante firme

[Folha 9]
X
Único enleio do coração
Muito estimei a tua estimadíssima carta a qual muito muito estimei por saber notícias de quem sumamente adoro que só com letras tuas dou um desafogo à minha perpétua saudade minha vida recebi uma tua ontem que muito estimei e nela vejo o gosto que dizes fazer da minha companhia quando chegará esse feliz dia em que nós ambos gozemos a liberdade há tanto tempo apetecida não cuides que ainda havemos de estar um ano sem a nossa liberdade que talvez será mais breve do que tu pensas pois eu não cuido em outra coisa mais do que em ti e o modo de como poderemos estar à nossa vontade tu dizes que sempre sonhas comigo eu por vergonha te não tenho mandado dizer quantas vezes o tenho feito assim parece-me que nada te fico a dever antes poderá ser que mais alguma coisa a maior pena que eu tenho é de não poderes vir cá para a Páscoa pois fazia tenção de passarmos uma tarde com descanso porém como me avisas que a tua mãe está doente mas assim mesmo podes pedir à tua mãe para ela pedir a ele para assim vires e estarmos algum tempo com sossego e não como ontem que nem falámos à nossa vontade e peço-te que nem de bem nem de mal me tornes a falar [palavra riscada] porque me não importa para nada, também te agradeço o soneto que é muito bonito como cousa da tua mão e aceita muitos muitos abracinhos e beijos e tudo o mais que podes compreender que sim os desejara dar pessoalmente.
Se tu queres que eu te adore
Guarda-me tu lealdade
Desta que é toda tua sem mudança
Firme só eu

[Folha 10]
Adorado bem do c.
Não posso expor na tua doce e amável presença a alegria que me causaram as tuas doces expressões pois só com elas tenho alívio ao que padeço na tua ausência porque se não passa um pequeno minuto que te não encontre no pensamento e com os maiores sentimentos que uma alma terna e sensível pode haver só devo dizer-te que entre a nossa amizade o que mais me atormenta é o não te poder ver a todo o instante como desejo e gozar da tua companhia e além disto outra é o estarem-me sempre a falar em o Silva sabendo tu eu não gosto disso pela nossa amizade te peço me não fales mais nele e respeito à tua vinda cá sempre faz toda a diligência por ver se podes vir dar alívio a este coração amante e verdadeiro que só a ti protesta ser firme e constante agradeço-te as cantigas que são muito lindas e aceita o meu coração cheio de saudades e ab. e bj.
Desta que eternamente é tua
A.C.

[Folha 12]
L
Adorado amor meu bem
Desejareis [?] que tenhas saúde e felicidades eu tas desejo como cousa minha que és e hás de ser eu minha vida estou sempre pronta para em tudo te mostrar que deveras te amo e venero, também desejo que estejas mais aliviado das tuas tristezas, que sendo assim, e com certeza tua ficará o meu coração mais descansado pois na verdade me tens causado bastante paixão basta para motivo disto o grande amor que te consagro pois em mim não hás de achar senão uma constante firmeza pois a mais ninguém tenho consagrado os meus afetos e protesto eternamente ser tua até à morte assim aceita o meu sincero coração com muitos abracinhos e beij.
Desta que é tua firme do c.

[Folha 13]
AA
Adorado amor do c.
Não posso expor na tua presença o grande pesar que tive em não ter notícias tuas há tanto tempo agora recebi 3 as quais muito estimei como cousa tua, eu ainda não li senão a em que me dizes da garça [Graça?] o que farei e senti tu quando eu lá fui não apareceres senão de relance vim para casa tristíssima como a noite e no mais que me recomendas não tenhas o menor cuidado com essas cousas porque te não merece o meu amor ofensa alguma só sim se vossemecê por lá fizer alguma cousa contrária à lei dos nossos amores que da minha parte está certo o não ofender[?] também tomara saber porque ontem não veio mais vezes abaixo quando sabia que eu lá estava mande-me dizer pois eu se faço gosto de lá ir é por mor de ti e não por mor de mais ninguém assim dos escritos mais que vêm darei resposta mais devagar que não tive tempo para mais aceita o meu coração cheio de saudades que tos manda esta que por ti morre manda-me dizer se fostes entregue de uma carta quarta-feira que te mandei pelo José Luís e se quiseres por ele podem vir adeus
Desta que é só tua
Firme até morte

[Folha 14]
BB
Amor do c.
Recebi o teu escrito ou carta que estimo o quanto podes conhecer o meu sincero e puro afeto com [que?] te trato pois nada disto podias duvidar conhece que em tempo algum do mundo te hei de ser ingrata tu meu bem dizes que eu te escrevo pouco não há dúvida que tenho pouco tempo por conta de minha mãe se ela sai de manhã logo se recolhe e por isso não posso dizer tudo o que desejo respeito do Paula já te disse nada dele pretendo nem quero se te não falo nele é pelo pouco caso que dele faço nesse ponto não ocupará mais o tempo ele mesmo te mostrará a minha sinceridade vejo também o que me dizes do tacho estou bem certa em que lhe tens escrito nem tens que negar porque tudo sei com certeza porém o amor que te consagro tudo me disfarçará tu dizes te mande dizer por letra isto não são cousas que se digam por letra quando cá vieres to direi o ponto em que nos falamos eu estou certa desejo que tu sejas o mesmo e aceita o meu coração com mil saudades e ab. e bj. tudo
Desta tua do c.
Amante firme
Aparece-me quando eu lá for bem sabes as horas

[Folha 15]
P
Adorado amor meu bem
Muito hei de estimar que ao receber desta estejas com aquela saúde e felicidades que o meu coração te deseja que a minha pronta vontade fica às tuas ordens menino sinto na alma o não ter notícias tuas há tanto tempo porque não considero em outra cousa mais que em ti assim para darmos fim ao nosso martírio queria que pedisses licença sem falta para ao Espírito Santo vires a minha casa e nela falarmos em aquele negócio que há tanto desejo[?] pois lhe peço isto com todo empenho que couber no possível isto te peço pelo nosso amor e aceita o meu coração cheio de saudades pelo teu amor fico certa que em tudo te mostrarei que sou tua a mais amante
Firme até morte

[Folha 16]
Q
Adorado e querido amor do c.
Recebi a tua que muito estimei como podes conhecer só sinto no íntimo do meu coração as grandes mentiras que essa alcoviteira te foi dizer sem eu ter culpa nem dela confiar segredo algum ela é a que me procura para eu lhe escrever enfim tudo é mentira nela eu não descubro segredo meu a ninguém quanto mais a essa bêbeda eu melhor te direi é as qualidades dela assim fiquei tristíssima como a noite e os olhos logo me deram sinal como me dizes fizestes[?] podes crer que não amo a mais ninguém só a ti a pena que tenho é não ter tempo para declarar-te o meu sentimento só te afirmo que tudo é falso não tornes a falar com essa bêbeda e eu te direi quem ela é e como ela te disse que eu não sabia ler quando cá vieres escreverei à tua vista e verás se ela fala verdade aceita o meu coração cheio de saudades e sentimento a teu respeito e não penses no que ela te disser ou disse vê quando podes pedir licença para cá vires tenho muita cousa para te dizer em segredo respeito ao órfão[?] eu não amo a mais ninguém se me quiseres mandar dizer o nome do tal que estou inocente e tomara saber isso adeus que não posso mais quero-te dizer te não fies no Carlos que não está já cá[?] resposta sem falta adeus minha vida meu amor
Desta que é tua do c.
Amante firme
D. Ana Cândida Delfina

[Folha 17]
I
Querido amor meu bem
Com sumo gosto releio as tuas delicadas expressões e as quais depositei em o meu constante peito com aquele gosto que podes conhecer e nelas vejo o quanto me dizes respeito à minha firmeza dela nunca podes duvidar em tempo algum do mundo te falte ao que deveras te afirmo e do mais que me dizes se às vezes não respondo a tudo é pela pouca liberdade porque isto que faço é escondido de minha Mãe e leio as tuas às escondidas mas sempre leio tudo porém se não digo em algumas digo em outras vejo o que me dizes quando passastes por aqui, eu também logo te vi e fiquei com o mesmo pesar por ver que te não podia falar toda a noite não pude por os olhos com o pensamento em ti até que cheguei a sonhar contigo Deus queira que cedo gozemos da nossa liberdade para então vivermos sossegados à nossa vontade aceita o meu coração cheio de saudades eu serei mais extensa no que respeita à firmeza está descansado nesse ponto que não amo a mais ninguém nem escrevo enfim só tu és único objeto dos meus sentidos aceita o meu coração cheio de saudades pelo teu espero sem falta que peças licença para vires cá pois é o que te peço já que dizes que nunca te peço nada peço-te agora isto quanto mais depressa melhor sem falta adeus adeus
Sou e serei até morte firme e sem mudança
Já sabes
Saberás que esteve cá a mãe do Silva ela diz o vai tirar para ele ir para o Brasil para a tia.

[Folha 18]
T
Amor do c. alma e vida
Muito estimei as tuas delicadas expressões com elas dei um pequeno alívio às minhas tristes ideias pois só assim fica o meu aflito coração descansado o mal que padeço isto é enquanto não tenho notícias tuas porém fico pensativa em me mandares dizer que talvez eu só desse resposta por dar satisfação às tuas, digo-te na verdade que esses conceitos ou ideias que tens feito a meu respeito são todas falsas eu já te mandei dizer muitas vezes não duvidasses da minha constância porque eternamente será meu se tu quiseres eu nada desta vida desejo mais que a tua amável correspondência Deus permitisse que hoje fora o ditoso dia da nossa liberdade respeito ao mais que dizes só a tua visita como já te disse saberás que tenho estado com um grande defluxo mas não é cousa de cuidado esquecia-me mais o dizeres-me tu que te não andasse eu enganando digo eu: Deus queira que tu o não faças que da minha parte está descansado que não hás de ter o menor desgosto a esse respeito e aceita muitas muitas saudades e ab. e bj.
Desta que eternamente será tua até morte

[Folha 19]
B
Amor do c.
Recebi a tua ou duas às quais estimei como cousa tua mas ao mesmo tempo sentindo algumas cousas e apontamentos que me fazes sem eu te merecer semelhantes conceitos tu me dizes que eu não acredito o que me dizes eu se me não acreditasse de ti e do que me dizes nenhum excesso faria por ti mas conheces que todo o meu gosto é o saber notícias tuas e o modo como nos havemos de falar o meu pensamento não se ocupa como me dizes em esses dois sujeitos de tudo vivo isenta tanto deles como dos de cá de fora que assim o mandastes dizer podias deixar-te desses pensamentos que nem pela imaginação me passam, só tu és a única cousa que ocupa o meu pensamento porém julgo que estas tuas desconfianças serão fingidas visto eu não ser culpada em nada porém apesar da minha tristeza motivada destas desordens sempre acharás constância no meu peito eu não ando a experimentar corações nem vontades mais que a tua nisto podes viver certo como já te avisei em outras e deixa de me consumires com essas cousas que verdadeiramente te amo e a mais ninguém só tu és única prenda a quem sumamente adoro e venero estimo e amo o que me dizes não o posso dizer já disse por letra só à tua vista entretanto aceita o meu coração cheio de saudades e abraços e bj. desta tua o mais apaixonada e amante
Firme até morte
Sem mudança

[Folha 20]
E
Adorado amor
Recebi a tua que muito estimei como podes conhecer só sinto muito o modo como leste o meu escrito eu não te dizia que lhe perguntasses nada vê bem e repara no que te digo eu nada tenho nem tive com ele nem quero assim nada tinha que lhe recomendar não penses que em sentido algum eu te engane antes tomara eu mostrar-te a sinceridade com que te amo o eu dizer respeito ao tacho se eu te não tivesse amor não te zelava julgo que tu para comigo serás o mesmo logo não há razão para que nem eu nem tu nos escandalizemos assim o melhor é nem gastarmos mais tempo nisso só o que desejo é ter-te adiante dos meus olhos para assim tirar o meu coração de cuidados a teu respeito pois a cada instante te acho no meu pensamento e assim tomara que hoje fosse o dia em que nós pudéssemos declarar os nossos sentimentos e de nada mais te lembres só o que te peço é que domingo lá não fales com pessoa alguma que eu tenho lá quem espreite e sem exceção de pessoa alguma e lê como puderes que foi à pressa e aceita o meu coração que suspira pelo teu.
Firme só eu

[Folha 21]
F
Adorado amor meu bem
Recebi a tua a qual muito estimo como cousa tua e te desejo muitas felicidades as quais tu não podes ignorar e nelas vejo o quanto me dizes a respeito da nossa liberdade tu o desejas mas eu muito mais não sei quando seja a hora nem o dia em que cheguemos a estar à nossa vontade mas até que vocalmente nos falemos não posso declarar-te por pena e modo da nossa liberdade porque assim me é preciso por certos motivos porém quando quiseres vir pede licença então falaremos e ajustaremos o modo com que nos havemos de fazer às cousas com acerto em quanto ao sonho eu também sonho contigo muitas vezes que onde há amor bem sabes que é costume essas passagens o que me dizes da letra não é preciso mudares de costume eu bem entendo tudo pelo miúdo o que me mandas dizer [duas linhas riscadas] e da minha vontade podes dispor tudo o que for teu gosto e aceita muitas saudades e abracinhos e outros tantos bj. que todos tos manda esta que por ti morre.
Sou tua do c. firme até morte
Já sabes
Mandarás a resposta logo logo sem falta

[Folha 22]
G
Adorado amor do c.
Muito estimo que logres saúde e felicidades eu fico como podes conhecer cheia de saudades por ti meu doce bem saberás que de continuamente me estão lembrando os teus doces agrados e carinhos com que me tratas esta lembrança e a de não poder ver-te a todo instante que o meu coração deseja faz com que eu esteja triste e pensativa e melancólica Deus e os céus permitissem que hoje fosse o dia de nós termos a liberdade apetecida há tanto tempo esperada só assim terei descanso e alívio para o tormento em que me vejo metida que ainda[?] te não digo uma pequena parte do meu insofrível padecer mas já que a minha sorte assim o permitiu paciência, lá virá tempo em que tu e eu estaremos à nossa vontade aí vai ela inclusa que não pude remeter estimo que te advertisses bem lá em baixo que as tristezas são para mim e aceita o meu coração cheio de saudades e muitos abracinhos e tudo o mais que podes compreender de um coração amante puro e sincero e adeus até próxima vez desta tua
Do c. amante firme e sem mudança

[Folha 23]
H
Amor do c.
Desejo-te saúde e felicidades recebi o teu escrito que muito estimei como cousa da tua mão e prenda a quem sumamente adoro nele vejo quanto me dizes de Monchique eu julgo que o tu não lhe escreveres que será como dizes não pode ser porque os mais haviam de dar nisso que a vontade parece-me não tem sido pouca nesta desculpa que dás mostras que o farias se pudesses vi o que me dizes das letras ab. e bj., elas querem dizer abraços e beijinhos [várias palavras riscadas] o que me dizes das tuas cartas eu não as mostro a ninguém e fui entregue da que me mandastes pelo piqueno o que me dizes te diga eu isso só à vista pois espero-te para a Páscoa cá então o direi mais devagar porque por pena se virão a saber por algum modo e assim vive certo na minha amizade que por tudo me hás de achar sempre certa nos teus preceitos e aí te mando muitos ab. e bj. faze de conta que tos estou a dar como quem é tua amante
Firme do c.

[Folha 24]
I
Amado e querido amor do c.
Recebi a tua que muito estimei como podes conhecer a minha sincera amizade só sinto o não acabares de conhecer que verdadeiramente te amo e nada mais apeteço escusas meu benzinho repetir-me mais essas cousas que nem pelo pensamento me passam assim vive certo na minha amizade tu não podes duvidar da minha amizade eu da tua sim porque sei certamente que tu assistes a um tacho em Monchique e tomaras estar sempre em Monchique para lhe assistires olhe que isto sei-o de certeza mas o meu amor sempre é o mesmo e tomara falar-te para te dizer tudo quanto sinto em meu peito e se te não escrevo mais é por não ter tempo por conta de minha Mãe desejo saber se ainda está pelo mesmo que nós dissemos e aceita o meu coração cheio de saudades desta tua do c.

[Folha 25]
L
Adorado amor meu bem
Muito estimei as tuas notícias com elas dei um pequeno alívio à minha saudade e nele vejo quanto me dizes sentes o não me poderes falar a teu gosto eu da mesma sorte fiquei sentida pelo não poder cumprir porém não te mortifiques que isso é um par [?] de tempos mais ou menos eu te agradeço com mil amores o teu excesso só a pena que tenho é de tu não te acabares de certificar da grande paixão que em mim existe a teu respeito porque tantas vezes me dizes duvidas da minha amizade para contigo não tendo eu outro objeto mais que o teu e dizeres eu te digo que para outra serei mais extensa é porque faço tenção de o ser e depois não tenho tempo assim como agora eu espero sem falta que hás de vir o mais breve que puderes para dar alívio à minha saudade das cantigas só mostrei uma ao piqueno tu bem sabes quem é e adeus não te esqueças de mim adeus minha vida meu amor do meu coração adeus adeusinho
Sou tua até morte firme

[Folha 27]
M
Enleio dos meus cuidados desejo-te saúde e felicidades saberás meu querido bem que tive muito gosto em estes dias todos falar contigo ainda que não foi à nossa vontade porém sempre aliviei as minhas penas ao menos em estar ao pé de ti saberás que ontem tive a notícia de que tu viestes outra vez a minha casa porém quis a minha pouca ventura que não tivesse a felicidade de te encontrar porque minha Mãe quis ir para a Trindade e logo que saímos me disseram que tu vieste assim que tive esta notícia fiquei mais triste que a noute pois vejo o grande excesso que fazes por mim tudo te merece o meu amor o que me dizes da nossa liberdade as cousas sempre se querem com acerto ainda que o dizer eu isto não é para me escusar é sim para tudo ficar em paz e no que respeita a dizeres do mais à vista falaremos que os meus desejos todos se unem com os teus para outra serei mais extensa aceita o meu coração com mil ab. e mil bj.
Desta tua do c.
Até morte
Respeito a dizeres que o tratamento sempre deve ser por tu tanto em cartas como na presença que onde há amor não pode haver cortesia tu assim o podes conhecer e no domingo sempre te espero que apareças que ainda que seja de longe que assim sempre fico mais descansada e adeus muitas saudades minhas sou e serei tua até morte

[Folha 29]
N
Amor do meu coração
Muito estimarei ao receber desta esteja com saúde e felicidades que a minha pronta vontade fica ao teu dispor amorzinho não sei porque há tanto tempo me não tens dado notícias tuas julgo que outro objeto tens mais do teu agrado do que eu e por essa razão me estás sempre a lavar a cara com o Silva não me passando esse nem pelo pensamento já te disse me não andasses a matar com ele porque não tens razão para isso porque todo o meu desvelo é em te adorar não sei por que modo te possa mostrar mais o meu amor se sabes outro meio mais eficaz manda-mo dizer para ver se assim melhor te agrado e adeus aceita este coração com muitos ab. e bj.
Desta que é toda tua firme eu
Esquecia-me dizer-te que o eu perguntar por ele ou por outro é para minha mãe não desconfiar e não por amor nem paixão no domingo 3.º quando te encontrei na Cordoaria tu não tiravas os olhos da porta da Helena sempre mostras que lhe tens amor porque se o não tivesses não olhavas para lá então para que me andas a enganar adeus.

[Folha 30]
O
Adorado amor do c.
Muito estimei as tuas delicadíssimas expressões as quais depositei em o meu constante coração e nelas vejo a grande anarração que me fazes ciente eu da mesma sorte te correspondo não temas nem receies o contrário do que tanto te tenho afirmado e se achas que em ser pouco extensa é falta de vontade ou de não de amor enganas-te é sim pouco tempo por conta de minha mãe ela é verdade sai todas as manhãs mas pouco tempo se detém isto já eu te avisei que o fazia escondido e à pressa não creias outra cousa nem penses o contrário que isto que te afirmo é certíssimo o meu amor para contigo nunca terá fim antes cada vez será mais eficaz e tu o exprentarás[?] em todo o tempo o eu dizer mais pouco nas minhas cartas é por mais não poder pelo que já te disse e do nosso ajuste eu estou por tudo que me determinares também vejo o que me falas muitas vezes no tal tacho eu quando não gosto de uma cousa nada dela me lembro é certo que ainda tens alguma lembrança dela eu de nada mais me lembro só de ti e o modo com que te amo não te posso mostrar melhor a minha firmeza pela pouca liberdade que tenho mas espero em Deus que ainda a teremos e por isso podes estar descansado no que te digo e assim deixa-te de maus pensamentos isto é respeito à infelicidade aí vai inclusa uma que já tenho feita em resposta à outra lê como puderes que foi feita muito à noute e à pressa mas é para que conheças a minha verdade e vontade assim de tudo podes viver descansado no que te digo porque nada te fico devendo e aceita o meu coração cheio de saudades.
Desta que confessa ser tua do c. amante

[Folha 31]
R
Adorado e querido amor
Muito estimo que estas te achem com aquela saúde que o meu coração te deseja menino recebi as tuas delicadas letras e doces expressões e nelas vejo a tua anarração é justo que assim como os coração são unidos sejam também as vontades pois eu não tenho outra vontade mais que a tua e todos os meus desejos são em fazer-ta … [?] Vejo o que me dizes respeito à nossa vontade eu da mesma sorte porém quando eu e tu pudermos falar em vindo tu cá na tua presença ajustaremos a nossa função quero-te dever o favor de vires quanto mais depressa melhor pois até não ter o gosto de falar contigo não posso dar princípio a nada sem primeiro falar contigo e peço o que espero que peças licença o mais breve que puderes respeito ao Paula agradeço-te a fineza de lá não ires e os agradecimentos eu os darei ao Paula não acompanhes com marotos e vê o que ele tirou dos seus conhecimentos assim o que me pedes farei toda a diligência por te mandar o mais breve que eu puder e de tudo o mais está certo que nada te hei de faltar e aceita o meu coração com mil saudades e tudo o mais que sabe abraços e bj. aparece sempre quando eu lá for bem sabes o gosto que tenho nisso.
Desta que só é tua firme do c.
Vem quanto mais depressa melhor para o que sabes adeus só tua eu adeus adeus meu amor

  • Objectos Digitais
  • Ver em ecrã completo

  • Descrição

  • Subordinados