Colégio dos Órfãos. 1651-1951

Produtor


O Real Colégio dos Meninos Órfãos de Nossa Senhora da Graça foi fundado pelo Padre Baltazar Guedes a 25 de Março de 1651. Os primeiros estatutos do colégio foram aprovados por provisão régia de 11 de outubro de 1655.
Quando faleceu, em 1693, Baltazar Guedes indigitou o Senado da Câmara como testamenteiro e futuro administrador do Colégio dos Meninos Órfãos e Desamparados, conseguindo desta forma realizar e perpetuar a sua obra de educação e assistência.
O edifício do Colégio dos Meninos Órfãos, mandado construir pelo Padre Baltazar Guedes, ficava contíguo à antiga Ermida de Nossa Senhora da Graça. Numa ala deste edifício viriam a ser instaladas, na segunda metade do século XVIII, as aulas de Náutica e Desenho que dariam origem à Academia de Comércio e Marinha. A construção neste local de um grandioso edifício para a Academia Real da Marinha e Comércio, obrigou à transferência do Colégio para um prédio na Rua dos Mártires da Liberdade.
A Câmara aproveitou o edifício do antigo Seminário do Porto, situado no Alto do Monte do Prado, para aí reinstalar o Colégio dos Órfãos que, depois de remodelado, foi inaugurado em 1903.
Em 1951 é estabelecido um acordo entre a Câmara Municipal do Porto e o Instituto Salesiano, que tinha como objetivo entregar a direção e administração do Colégio dos Órfãos ao referido instituto. Por escritura de 17 de setembro de 1951, a Câmara formaliza este acordo mantendo apenas a propriedade do edifício.

  • Tipo de entidade Coletividade

  • Código parcial CO
  • Data de existência 1651 – 1951
  • Zona geográfica

    Porto

  • Funções, ocupações e actividades

    O Colégio dos Órfãos tinha como funções: receber, sustentar, educar e instruir gratuitamente um número determinado de órfãos da Cidade e Bispado do Porto.

  • Língua
    Portuguese